Sustentabilidade, Física Quântica e Espiritualidade – parte 1

Por: Júlio Resende Duarte


A física Clássica e a ideologia do progresso


Esta é uma série de 10 textos sobre sustentabilidade, espiritualidade e física quântica. Pretendo compartilhar um pouco da minha caminhada em busca de compreensão do que está acontecendo com o mundo. Eu sempre tive dentro de mim um otimismo inexplicado sobre o futuro da humanidade. No começo de minha busca, fui descobrindo todos os argumentos que me mostravam o lado sombrio e a decadência da humanidade. No entanto, o otimismo permanecia e comecei a descobrir os argumentos que me indicavam que estamos inaugurando uma nova fase lindíssima na evolução da humanidade. É neste ponto que se entrelaçam sustentabilidade, física quântica e espiritualidade. Espero que estes textos provoquem e contribuam para esta mudança de paradigma.


Sustentabilidade é uma nova sociedade emergente, com valores bem diferentes da sociedade industrial cujo objetivo máximo é o crescimento econômico ilimitado. Do ponto de vista desta visão decadente, a felicidade só pode ser encontrada na matéria e na acumulação de bens. A hipótese é de que os países só podem ser felizes (desenvolvidos) se crescerem continuamente. O mesmo raciocínio é aplicado às empresas e aos cidadãos e seus salários.

Esta visão de mundo é baseada na ciência clássica, que se desenvolveu amplamente a partir de 1500. Alguns cientistas fizeram descobertas fundamentais para a construção desta visão. Copérnico, por exemplo, tirou a terra do centro do universo e a colocou no sistema solar, que faz parte da via láctea e assim por diante. Galileu postulou que o universo poderia ser explicado por meio de leis matemáticas determinísticas. Descartes separou corpo de mente para que a religião cuidasse da espiritualidade e deixasse a ciência cuidar da matéria. Newton explicou o universo como uma máquina, formada por partículas elementares que, ao se relacionar (gravidade, etc.), fazem o todo maior funcionar.

Esta visão de mundo passou a influenciar toda a humanidade proporcionando a revolução industrial, a conquista de todos os recantos da terra e o surgimento da ideologia do progresso (crescimento ilimitado). A espiritualidade e as religiões foram relegadas a um segundo plano. Afinal de contas, o universo seria uma máquina newtoniana e o mundo da energia, da unidade e da transcedência passariam a ser compreendidos apenas como fenômeno da matéria.

Foi esta visão de mundo que nos levou as atuais crises social, ambiental e ética. Esta visão nos levou ao individualismo, ao rompimento com a mãe terra, ao estresse, ao medo, à violência, à guerra por petróleo, ao automóvel…Quando tentamos enxergar o futuro da humanidade e do mundo por este prisma nos tornamos pessimistas, pois, ao que parece, estamos caminhando para um fim catastrófico.

No entanto, estamos no limiar de civilações. Enquanto este velho paradigma não nos traz mais respostas, estamos inaugurando uma nova forma de ver e se relacionar com o mundo…

Na próxima semana: “universo não é uma máquina newtoniana”

 

 

5 pensamentos sobre “Sustentabilidade, Física Quântica e Espiritualidade – parte 1

  1. Pingback: Elomar, Manoel de Barros e um pouquinho de física quântica | 10porhora

  2. Pingback: Elomar, Manoel de Barros e um pouquinho de física quântica « BOLINHA DE GUDE

  3. Ele tem toda razão e a virada começou com o Princípio Antrópico, em 1973 (eia o texto que escrevi comentando o texto do Boff). Pela primeira vez, desde Nicolau Copernico, a ciência começou a caminhar em direção a Deus. Além do PA, como você bem diz, existe também a física quântica que, os cientistas hoje admitem só pode ser explicada pela consciência humana e pela Consciência Universal que, no fundo, são a mesma coisa. Agora, o que Darkwin e outros materialistas ateus questionam não é tanto Deus e sim as religiões tradicionais. Bom, isso eu também questiono, pois hoje sou francamente a favor do Deus Ecumênico, de todos os homens, povos e nações e mesmo, de todo cosmos, e não de um Deus multicultural, regional ou mesmo nacional, isso não existe.

    Curtir

  4. Olá,

    Tudo bem? Como faço para ler seu texto? Tenho muito interesse. Também não tenho religião. Em casa, desde cedo, tive liberdade para escolher meus caminhos espirituais. MInha vivência espiritual é livre de dogmas.

    abr

    Curtir

  5. Pingback: Elomar, Manoel de Barros e um pouquinho de física quântica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s