A saga da Amazônia

Por: Júlio Resende

publicado em http://www.dezporhora.org

O livro Ecologia: grito da terra grito dos pobres, escrito por Leonardo Boff, é um dos melhores livros que relatam as duas maiores contradições do modelo de sociedade que tem como objetivo máximo o desenvolvimento econômico ilimitado. A primeira é a fadiga da humanidade. Estamos doentes pelo excesso de trabalho, pela violência, pela pobreza, pelo consumo… A segunda reside no fato de que este modelo que deseja crescer ilimitadamente é aplicado a um ser vivo chamado terra que não cresce. Nosso planeta é uma grande forma de vida formada por um complexo emaranhado de outras vidas. A façanha do autor é mostrar a interdependência destas duas contradições. Para crescer em quantidades cada vez maiores o preço a ser pago é a fadiga da humanidade e do sistema vivo que fazemos parte.

O quarto capítulo, intitulado Todos os pecados capitais antiecológicos: a Amazônia, relata como o desenvolvimento feito até então na floresta desrespeita os limites deste ecossistema e também das pessoas que ali habitam. As grandes estradas proporicionaram uma favelização rural e os megraprojetos roperam a aliança com a biodiversidade.

A música Saga da Amazónia, do violeiro Vital Farias, ilustra muito bem este contexto de exploração do local e da perda das diversidades. Àqueles que se interessam, eu sugiro que ouçam a música mais de uma vez. Reparem no linguajar e na riqueza do vocabulário. Reparem na história que é a saga da floresta e se emocionem com os violões e a bela melodia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s